Resources

O BID, Camisea e Peru: Uma história comovente sobre as salvaguardas

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) teve um papel fundamental no desenvolvimento do projeto de gás de Camisea na Amazônia Peruana em 2002/2003, apesar de não ter então nenhuma política específica para projetos que impactam os povos indígenas. Quando o Banco adotou uma política em 2006, ignorou-se uma cláusula fundamental sobre os povos em isolamento, durante o empréstimo de 400 milhões de dólares americanos no ano seguinte. Entretanto, as tentativas do Banco de “proteger” uma reserva para povos indígenas em “isolamento voluntário”, diretamente afetados pelo projeto Camisea, foram quase plenamente ineficazes, e atualmente estão sendo ainda mais minadas pelos planos de expansão das operações dentro da Reserva Pede-se ao BID que aprove estes planos e o mesmo poderia fazê-lo a qualquer momento.

O Governo Peruano está prestes a expandir a exploração de petróleo e gás em reserva de povos em situação de isolamento e em local considerado patrimônio mundial da UNESCO

O governo Peruano aprovou, recentemente, planos de expansão para o projeto de gás de Camisea, no coração de uma reserva para povos indígenas que vivem em situação de isolamento, e está considerando negociar outra concessão que poderia estender-se pelo Parque Nacional de Manu, um patrimônio mundial da UNESCO. Estas decisões ameaçam as vidas e os direitos dos seus habitantes e representam uma violação tanto do direito internacional quanto da legislação doméstica Peruana.